Mulheres na Tecnologia: Presença no Mercado de Trabalho

Mulheres na Tecnologia: Presença no Mercado de Trabalho

Compartilhar no linkedin
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

Quando falamos em profissões como TI, Engenheiro e Cientista, o primeiro pensamento são profissionais homens. Então, onde estão as mulheres na Tecnologia?!

Se analisarmos, na escola mesmo, as meninas já são influenciadas a acharem que áreas de exatas não são para elas. Uma pena, pois o mundo tech seria muito melhor com a presença de mais mulheres incríveis, líderes, bem como de empreendedoras

Um estudo feito pelo INEP mostrou que 59% dos estudantes são mulheres. Entretanto, quando o assunto é ciências exatas, esse número cai para 41%. Mas nos cursos de engenharia, o valor é ainda menor, sendo 70,7% homens e apenas 29,3% mulheres e para engenharia mecânica, só 10% das vagas são preenchidas pelo sexo feminino.

A Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), apontou que, até 2024, é estimada uma lacuna de 270 mil profissionais de TI,  a saber, isso irá provocar uma perda de receita em torno de R$ 167 bilhões.

Segundo a pesquisa Women in Technology, da Michael Page, as principais razões por trás do baixo número de mulheres líderes de tecnologia são:

Mesmo com todas essas adversidades, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), apontou que a participação das mulheres cresceu 60% nos últimos cinco anos, assim passando de 27,9 mil para 44,5 em 2019. Entretanto, o avanço ainda é tímido e elas representam somente 20% dos profissionais de tecnologia do país.

MULHERES PIONEIRAS

Você sabia que o primeiro ser humano considerado programador de computadores era uma mulher? Acreditaria se soubesse que durante a 2ª Guerra Mundial, quem decodificou os códigos nazistas e salvou a vida de milhares de reféns também era uma mulher atuando em conjunto com uma equipe 70% feminina? E se alguém te contasse que a tecnologia conhecida hoje como Wi-Fi também foi desenvolvida por uma mulher?

No e-book completo você conhecerá mais de cada uma dessas mulheres inspiradoras.

2023

Com o passar dos anos, as mulheres estão se empoderando cada vez mais e construindo os seus legados no mercado de trabalho. Dessa forma.  para representar essas forças atuais, convidamos algumas figuras que hoje atuam no segmento de tecnologia e podem dividir suas experiências, além de ensinar as próximas gerações.

Entrevistamos Lígia Novazi (COO & Sócia da Teros), Carolina Cabral (CEO da Nimbi) e Ana Claudia Rossi (CTO da Teros )

“Meu maior choque foi quando entendi que o machismo ainda está estruturado em muitos homens (e até mulheres!) e as críticas que recebemos, normalmente não são relacionadas a nossa capacidade técnica e sim, por sermos mulheres.”

TEROS

Em conversa com a nossa RH da Teros, Luciene Dourado, apresenta um cenário mais promissor quando o assunto é o futuro das mulheres no mercado de tecnologia e comenta o trabalho que a empresa está desenvolvendo para mudar essa realidade.

No primeiro momento, durante os processos de contratação, percebemos principalmente que o número de mulheres se candidatando às vagas é baixo, uma proporção de 90% homens e 10% mulheres. Então, como uma forma de incentivo, a Luciene vem criando políticas mais inclusivas, como por exemplo, sempre dando prioridade na escolha de candidatas que compartilham o seu currículo, assim trazendo mais o público feminino nos processos seletivos.  

Leia mais sobre o Mundo Open!

automação inteligente do pricing

Automação Inteligente de Pricing decide a venda em tempos de inflação

pricing automatizado no omnichannel

Pricing automatizado para o sucesso do omnichannel

Brasileiros confiam cada vez mais na LGPD e aderem ao compartilhamento de dados no Mundo Open